Cromoterapia

A Cromoterapia foi utilizada pelos povos antigos como atlantes, egípcios, gregos, chineses e tibetanos. A partir de sua entrada no ocidente, por volta do século XIX, houve grande ressurgimento das medicinas naturais e com isso ela retomou seu espaço, aliada a outras terapias e individualmente.

 

O Ser Humano passou a ter consciência de que não se constitui somente por matéria física, mas também por energias internas da sua massa física que nos alimenta e sustenta através de diferentes padrões vibratórios. Estudos nos conscientizaram da responsabilidade para com os outros reinos ditos inferiores e a necessidade de alimentarmos o nosso campo espiritual de energias para a composição de um equilíbrio emocional saudável.

 

Com grande proporção de funções e ligações espirituais, a Cromoterapia é entendida como uma das terapias de regeneração, através da energia luminosa, que é desenvolvida pela vibração das energias solares tomando-se como campo de visão, as cores vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil (índigo) e violeta.

 

Cromoterapia nos remete a um imaginário de cores onde cada uma delas contribui individualmente ou em conjunto para a cura das nossas doenças socioemocionais e físicas.

 

A terapia das cores já se constitui como uma ciência e vem evoluindo e conquistando seu espaço como uma possibilidade de tratamento para a cura de questões emocionais e físicas aliada ao tratamento da medicina convencional.